Dimensões do Sucesso

Tamanho da letra

Proatividade é a chave do sucesso

Ultimamente, tenho me inspirado bastante em textos de profissionais competentes em suas áreas de atividades, trazendo aos leitores comentários que podem fazer sentido e até ajudar no seu cotidiano. Hoje, começo por explorar a maior inimiga daqueles que buscam pelo sucesso: a procrastinação. Para que os leitores entendam bem a dimensão desse problema, vejam este vídeo legendado (https://www.youtube.com/watch?v=f1Z9o8Qo0HI) e analisem se, de algum modo, essas imagens lembram ou não muitas situações já vivenciadas:

O sucesso requer que nós saibamos harmonizar vários atributos, entre eles a perseverança, o desenvolvimento e a adesão a um conjunto de metas bem definidas, a atitude positiva, a autoconfiança e a automotivação. No entanto, nem o projeto mais bem planejado ou a melhor ideia irão se tornar realidade sem uma postura proativa. O profissional não pode se submeter ao grande matador da proatividade, que é a procrastinação.

A procrastinação representa uma incapacidade de agir, sendo às vezes atribuída ao medo ou à dúvida. Medo é algo que nasce de um imaginário, gerando incertezas quanto à capacidade de alcançar a meta ou aquilo que a pessoa se propõe realizar. Para entender o medo, vale comentar que ele se divide em três categorias: medo de falhar, medo de ser criticado e medo do desconhecido. No primeiro caso, é necessário assumir que o medo de falhar não pode se basear na incerteza do resultado, pois sem falhas não há progresso e nem aprendizado.

O segundo ponto, que é o medo de ser criticado, está ligado com a nossa necessidade de aceitação social. É um medo que rouba a singularidade que pode garantir o sucesso, pois se evita fazer algo que mostre baixa aceitação e/ou que pode gerar críticas. Por último, há o medo do desconhecido que, em outras palavras, sustenta-se na dúvida do que pode ou não acontecer, e que nos impede de agir para realizar o que queremos ver realizado.

Eis então que surge a Proatividade. Devemos primeiramente entender os nossos medos e, a partir de então, será mais fácil vencê-los. Os medos são estruturas de sentimentos e, uma vez que temos o poder de controlar nossa mente e pensamentos, podemos escolher ideias proativas para substituir o estado temeroso. Em um primeiro movimento, de forma gradual e persistente, assume-se a mente e aumenta-se a capacidade de raciocinar. Depois, concentra-se em resultados desejados, adotando-se um hábito essencial para o sucesso: ser proativo.

Quem leu o livro de Stephen Covey (mais de 10 milhões de cópias vendidas no mundo) sobre os hábitos das pessoas bem sucedidas (The 7 Habits of Highly Effective People), lembrará que o primeiro deles é “ser proativo”. O recado direto é que “Proatividade” deve ser mais do que simplesmente “tomar iniciativa”, como está em vários dicionários. É preciso entender a expressão como “a pessoa ser responsável pelas suas decisões e pela sua vida”, sem nunca agredir princípios e valores, sem ofender a identidade e o caráter, sem se subordinar ao que o contexto quer impor. É assumir que colhemos os resultados de decisões e ações passadas.

Em uma forma mais ampliada, ser proativo é uma maneira brilhante, grandiosa e marcante de uma pessoa defender a sua liberdade de ser e agir, de concretizar sonhos e desejos, e assim traduzir essa sua liberdade em uma forma de sucesso. Vale a pena tentar!